E agora? minha empresa é offline.

Em tempos de quarentena estou observando um movimento geral para o mundo digital. E, infelizmente, porque as pessoas estão sendo empurradas para o meio digital por falta de opção.

Muitas empresas consideravam sempre o meio digital como uma parte muito pequena da sua estratégia, quando consideravam e agora descobriram que se a empresa não tiver um canal online que funcione, os rendimentos da empresa podem estar em sério declínio durante a quarentena.

E, acreditem, isso também não é privilégio de empresas pequenas, muitas empresas de grande porte ignoravam os meios digitais pois consideravam as lojas físicas o único canal necessário para vendas. E agora estão vendo seus clientes experimentarem os serviços da concorrência, e quem sabe até perdendo uma parcela desses clientes para a concorrência, justamente por não ter a estrutura correta para atender os clientes.

Caminho sem volta

Sim, por mais breve que possa ser, e esperamos que assim o seja, este é um caminho sem volta. As pessoas começam a pensar no que funciona e o que não funciona online. Começam a manifestar seus desejos, suas frustrações.

Sim, é um momento em que o crescimento repentino e desordenado pode trazer frustrações que em tempos normais não ocorreriam: pedidos com itens esgotados, troca de itens, itens errados, cancelamento de pedidos, áreas de cobertura insuficientes, dentre tantas outras desventuras que você possa ter experimentado nos últimos dias.

Mas quem pode se beneficiar desse momento:

  • Profissionais atentos aos ruídos nas redes sociais, podem ter insights para aprimorar serviços; (Melhoras na entrega, nos custos de entrega, na personalização das necessidades);
  • Empresas podem criar novos serviços com base nas necessidades que o mercado vá apontando. (Quantas empresas de bairro descobriram que precisam de um meio para atender seus consumidores?);
  • Profissionais de marketing podem ampliar sua carteira de clientes auxiliando novas empresas a entrarem no mercado digital;
  • Crescimento da necessidade de ampliar os meios de recebimento.

Isso só pra citar algumas, considerando as minhas últimas experiências.

Querem um exemplo?

Sempre comprei ração, direto no supermercado, enquanto fazia as compras regulares da casa. Com a quarentena, considerando o peso do pacote, achei melhor optar por comprar direto de um petshop. Descobri que o Petshop que sempre comprei não tinha site de vendas, para driblar a situação, eles estão trabalhando com drive-thru e pedidos prévios pelo WhatsApp.

Sem carro, como fazer? Fui buscar outra opção pela internet… a ração tinha acabado e o prazo de entrega também pesou na escolha. Diversos não tinham a ração que eu queria, ofereciam mais aquelas rações premium, de grande valor. Entre aquelas que encontrei, acabei entre duas. AS duas ofereciam um valor bem menor, por kilo, do que eu pago no mercado. Para sair do impasse, pesou no fim aquela que entregasse no mesmo dia. Acabei encontrando uma que entregava em até 2 horas. Recebi a ração antes de receber a confirmação do pedido no email.

Qual a chance de comprar novamente no mercado? Possivelmente não vou comprar: pagar menos, receber rapidamente em casa e ainda não precisar carregar o saco de 25kg pelo mercado?

Este é só um exemplo, de oportunidade, em plena crise.

Sou offline e agora?

Nunca é tarde para virar digital, nunca mesmo. Só não espera demais, não é mesmo?

Quanto antes melhor.

Mas não vá fazendo qualquer coisa “só porque precisa estar online”. 85% das pessoas (dados Hubspot) afirmam que não indicam uma empresa se a apresentação dela não é boa.

O que você escolher faça bem feito. Há ferramentas online gratuitas ou até com baixo custo mensal, que auxiliam empresas e profissionais que não tenham muita experiência no mundo digital.

Se não estiver com cabeça e tempo, é bom considerar contratar um profissional, terceirizando todos ou parte dos serviços.

5 Pontos de atenção para seu negócio online

  1. Coloque sua empresa no Google Negócios se ainda não fez: muitas pessoas estão dando prioridade para empresas próximas de casa;
  2. Tenha meios de pagamento que possam ser efetivados pela internet: ter a maquininha agora pode não resolver todos os seus problemas, muitas pessoas não querem ter contato para efetuar o pagamento dos seus pedidos. Há diversos meios de pagamento que dispõem de soluções de pagamento para vendas online;
  3. Cuide mais das suas redes sociais: seus clientes estão todos na internet procurando novos serviços, opções de serviços online… a disputa aumenta, mas cabe a você lembrar que seu cliente já conhece seu serviço e já confia nos resultados que você entregue. Se sua empresa está chegando agora nas redes, o caminho de evocar a confiança e resultados já praticados é muito recomendado;
  4. Disponibilize um WhatsApp para atendimento: utilize a versão Business, organize o followup de quem for atendendo, e use a ferramenta com sabedoria – nada de fazer spam!
  5. Entenda sua logística: se você precisar fazer entregas, definir a rota certa poderá ser um item de economia para sua empresa, além de potencializar o grau de satisfação dos clientes com prazos. Nesses tempos temos um aumento de demanda, quem sabe trabalhar com horário possa ser mais complicado, mas mire sempre na experiência de entrega como fator que pode fidelizar ou te afastar de um cliente.

 

Avatar
Últimos posts por Carolina Figueiredo (exibir todos)

0 responses on "E agora? minha empresa é offline."

Leave a Message

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto executado por Carolina Figueiredo Marketing Digital ©. Todos os direitos reservados.
Scroll Up